21 de julho, 2024

Notícias

Home » Destaques » Como os supermercados devem se preparar para a nova era de pagamentos digitais?

Como os supermercados devem se preparar para a nova era de pagamentos digitais?

Escolher a forma de pagamento deixou de ser um duelo entre débito e crédito. Os pagamentos digitais são uma tendência global e, segundo a PwC, o volume de transações por meios digitais deve aumentar mais de 60% entre 2025 e 2030. No Brasil, a referência da revolução dos pagamentos digitais é o Pix, com 39% das transações no país no terceiro trimestre do ano passado, de acordo com o Banco Central.

Para Alexandre Marquesi, professor de ciência de dados e e-commerce da pós-graduação e graduação da ESPM, os principais benefícios dos pagamentos digitais para as lojas físicas do varejo são: segurança, conveniência e facilidade de compra. “Já os desafios incluem velocidade e integração. Você tem o pagamento sem atrito, com aprovação imediata e, para isso, é preciso investir em tecnologia para integrar sistemas, aumentar a segurança e proteção de dados, e garantir uma boa experiência para o cliente”, alerta.

O professor de ciência de dados e e-commerce da ESPM acredita que este ano os brasileiros terão acesso a mais novidades dentro do mercado de pagamentos digitais no Brasil. “Teremos a expansão do pagamento por aproximação; do crescimento do uso de tecnologias NFC (Near Field Communication); da integração com Inteligência Artificial para a personalização de ofertas e segurança das transações; e a integração com o omnicanal, permitindo que o cliente alterne entre canais de forma fluida”, aponta Alexandre Marquesi.

Desafios e disrupção de mercado

Gustavo Farias, head de soluções da Zoop, empresa de soluções para meios de pagamento, afirma que um dos grandes diferenciais da Zoop para o setor supermercadista é o recurso avançado de split de pagamentos, que permite dividir as transações em etapas. “Se um supermercado deseja, por exemplo, realizar uma venda com entrega, pode rapidamente dividir a parte destinada ao entregador no momento da compra, independente do canal. Somos pioneiros em permitir a funcionalidade ‘split’ com alguns dos meios de pagamentos disponíveis atualmente na Zoop”, afirma.

De acordo com Farias, um dos principais desafios dos pagamentos digitais e do mercado varejista está na experiência do cliente, já que a personalização se destaca como um pilar essencial para agregar valor tanto aos consumidores quanto aos comerciantes. “Por meio do Unified Commerce, a Zoop mostra aos supermercadistas como compreender melhor o comportamento de compra dos clientes, gerando ofertas e promoções alinhados às suas preferências. Outro desafio é a integração entre as operações físicas e digitais e os supermercadistas ainda enfrentam dificuldades devido à resistência de um setor que ainda é mais tradicional. É um mercado que ainda precisa mergulhar na omnicanalidade e trazer mais conveniência para todos”, diz o executivo.

Para o head de soluções da empresa, uma das grandes disrupções do mercado de pagamentos digitais é a tecnologia Tap to Pay, uma solução capaz de usar celulares e outros dispositivos mobile para processar pagamentos por aproximação com cartões de débito ou crédito. “Isso representa um marco na simplificação e acessibilidade aos meios de pagamentos para os comércios, desde o pequeno até o grande, oferecendo vantagens significativas e contribuindo para aprimorar a gestão financeira de seus negócios”, completa Gustavo Farias.

https://www.supervarejo.com.br/varejo/como-os-supermercados-devem-se-preparar-para-a-nova-era-de-pagamentos-digitais

 

 

Comentários