19 de julho, 2024

Notícias

Home » Economia » Mercado passa a ver Selic a 10% no fim de 2024, mostra Focus

Mercado passa a ver Selic a 10% no fim de 2024, mostra Focus

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Na esteira da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, o mercado financeiro voltou a aumentar sua estimativa para a Selic no fim deste ano, e a projeção agora considera um resultado de dois dígitos – indicando a expectativa de proximidade de fim do atual ciclo de corte da taxa básica de juros.

O mercado também piorou seus números para o rombo fiscal do governoinflação e PIB no ano. No primeiro caso, a mediana das projeções para o déficit primário foi de 0,64% para 0,70% do PIB, retomando o patamar de um mês atrás. Já o crescimento da economia brasileira em 2024, cuja estimativa era de 2,09% até a semana passada, recuou para 2,05%. E houve aumento de previsão para o IPCA no acumulado de 2024 – de 3,76% para 3,80% (o centro da meta é de 3%, podendo chegar ao teto de 4,5%).

No último dia 8, em uma reunião que terminou sem consenso, o Copom anunciou um corte de 0,25 ponto porcentual para a Selic – para 10,5% ao ano –, interrompendo um ciclo de seis reduções consecutivas de 0,5 ponto. Em comunicado divulgado após o anúncio, o Copom atribuiu a decisão ao “ambiente externo”, que se mostra “mais adverso, em função da incerteza elevada e persistente” sobre o corte de juros nos EUA. Disse também que, no cenário doméstico, “o conjunto dos indicadores de atividade econômica e do mercado de trabalho tem apresentado maior dinamismo do que o esperado” – com efeito sobre as expectativas da inflação.

A mensagem foi reforçada com a publicação da ata, na semana passada, que falou em postura “mais contracionista” e “cuidadosa” com os juros – o que foi lido por parte do mercado como sinal de fim de novas reduções da Selic.

Essa é, por exemplo, a avaliação da Asa Investments, que elevou de 9,75% para 10,50% sua projeção para a taxa Selic no final de 2024. Em nota, o economista da casa Leonardo Costa afirmou que as expectativas de inflação mais longas no boletim Focus devem continuar registrando piora, “o que deve se chocar com o desejo do Banco Central de reancoragem à meta”.

O banco americano Wells Fargo também não vê espaço para novas reduções neste ano. “A volatilidade da moeda brasileira aumentou ao longo das últimas semanas, o que pode alimentar a inflação de serviços. Além disso, o governo Lula demonstra escorregar na disciplina fiscal, o que pode ser exacerbado pelo desastre natural em partes do País”, avaliou o banco, em relatório.

https://www.estadao.com.br/economia/mercado-ve-selic-10-fim-2024-focus

Comentários